Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

13/06/2016

Em São Paulo frango vivo retorna à melhor cotação de 2016

As consecutivas altas que o frango vivo comercializado no interior paulista obteve entre segunda e quinta-feira da semana passada tiveram continuidade na sexta (10) e no sábado (11). E como, a exemplo das altas anteriores, se mantiveram nos estritos cinco centavos, o produto em processamento hoje (13) está valendo R$2,80/kg. 

Aparentemente, essa foi a primeira vez em que se registraram seis aumentos consecutivos nos seis dias de negócios de uma semana. O movimento marcou, também, o retorno à melhor cotação de 2016.

Neste caso, é preciso reconhecer que o preço dos primeiros dias do ano vem, por inércia, das Festas de dezembro. Assim, o máximo efetivamente alcançado no decorrer do presente exercício corresponde aos R$2,80/kg atuais. Que não chegam a representar novidade, pois essa é a cotação mais praticada no decorrer do ano. Ou seja: esse valor já foi praticado em cerca de 60 dos 135 dias de negócios transcorridos até semana. 

Mesmo assim, a média alcançada pelo frango vivo nesse período está bem abaixo desse valor: cerca de R$2,67/kg, o equivalente a 13% de aumento sobre a média de idêntico período de 2015. E a média é baixa porque, sobretudo, a segunda cotação mais praticada até aqui (R$2,50/kg) foi, também, a menor do presente exercício.

Mas enquanto São Paulo obteve, na semana, ajustes que totalizaram 30 centavos, Minas Gerais foi além, pois, partindo do mesmo patamar vigente no interior paulista (R$2,50/kg até 4 de junho),encerrou a semana com o frango vivo cotado a R$2,90/kg. E o ajuste que possibilitou o ganho semanal de 40 centavos ocorreu na sexta-feira, 10. 

Aos valores atuais, o frango vivo de São Paulo acumula alta de 12%, tanto em 30 dias como em um ano. O de Minas Gerais, de 13,73% e 16%, respectivamente. Mas em relação aos preços iniciais de 2016 (ou de encerramento de 2015) prevalece queda de 6,67% em São Paulo e de 6,45% em Minas Gerais.

A boa notícia é que os dois últimos índices – bem maiores no início deste mês – tendem a permanecer em redução. É que as condições de mercado sinalizam continuidade das altas.

Fonte: