Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksDuPont Pioneer / Media Center / Notícias

Notícias

12/04/2017

Em março, IBGE prevê safra de grãos 25,1% maior que a de 2016

A terceira estimativa de 2017 para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas totalizou 230,3 milhões de toneladas, 25,1% superior à obtida em 2016 (184,0 milhões de toneladas). A estimativa da área a ser colhida é de 60,7 milhões de hectares, apresentando acréscimo de 6,3% frente à área colhida em 2016 (57,1 milhões de hectares). Frente a fevereiro, a estimativa de produção aumentou 2,7% e a área, 0,6%. O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos deste grupo, que, somados, representaram 93,5% da produção e responderam por 87,7% da área a ser colhida. Em relação ao ano anterior, houve acréscimo de 2,5% na área da soja, de 14,8% na área do milho e de 3,9% na área de arroz. No que se refere à produção, ocorreram acréscimos de 15,9% para a soja, 13,9% para o arroz e 45,8% para o milho. A publicação completa da pesquisa pode ser acessada aqui.

Nessa avaliação para 2017, o Mato Grosso liderou como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 25,3%, seguido pelo Paraná (18,3%) e Rio Grande do Sul (14,8%), que, somados, representaram 58,4% do total nacional previsto. Outros estados importantes na produção de grãos foram Goiás (9,9%), Mato Grosso do Sul (7,5%), Minas Gerais (5,9%), São Paulo (3,5%), Bahia (3,4%), Santa Catarina (2,9%) e Maranhão (2,1%) que integram também o grupo dos dez maiores produtores do País.

Estimativa de março para a safra 2017 é 2,7% maior que a de fevereiro.

No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de março destacaram-se as variações nas seguintes estimativas de produção, comparativamente ao mês de fevereiro: cevada (6,7%), milho 2ª safra (6,0%), café canephora (4,8%), arroz (2,5%), cebola (2,4%), soja (2,3%), sorgo (1,7%), milho 1ª safra (1,4%), aveia (-1,0%), feijão 1ª safra (-1,2%) e trigo (-10,5%).

ARROZ (em casca) - A estimativa de março foi de uma área a ser colhida de 2.014.307 hectares, aguardando uma produção de 12.053.519 toneladas e um rendimento médio de 5.984 kg/ha, maiores, respectivamente, em 1,9%, 2,5% e 0,6%, quando comparados aos dados do mês anterior. O GCEA/RS estima para o Rio Grande do Sul, maior produtor do País, com 70,9% do total nacional, uma produção de 8.540.078 toneladas, numa área a ser colhida de 1.102.346 hectares e um rendimento médio esperado de 7.747 kg/ha. As condições climáticas nas últimas duas semanas foram favoráveis para a colheita, que no momento alcança 49,0% da área total a ser colhida. Santa Catarina, segundo produtor nacional, aguarda uma produção de 1.102.206 toneladas, numa área a ser colhida de 147.745 hectares e um rendimento médio de 7.460 kg/ha, maiores, respectivamente, em 2,2%, 0,1% e 2,1%, quando comparados aos dados do mês anterior.

ARROZ (em casca) - A estimativa de março foi de uma área a ser colhida de 2.014.307 hectares, aguardando uma produção de 12.053.519 toneladas e um rendimento médio de 5.984 kg/ha, maiores, respectivamente, em 1,9%, 2,5% e 0,6%, quando comparados aos dados do mês anterior. O GCEA/RS estima para o Rio Grande do Sul, maior produtor do País, com 70,9% do total nacional, uma produção de 8.540.078 toneladas, numa área a ser colhida de 1.102.346 hectares e um rendimento médio esperado de 7.747 kg/ha. As condições climáticas nas últimas duas semanas foram favoráveis para a colheita, que no momento alcança 49,0% da área total a ser colhida. Santa Catarina, segundo produtor nacional, aguarda uma produção de 1.102.206 toneladas, numa área a ser colhida de 147.745 hectares e um rendimento médio de 7.460 kg/ha, maiores, respectivamente, em 2,2%, 0,1% e 2,1%, quando comparados aos dados do mês anterior.

FEIJÃO 1ª safra - A 1ª safra de feijão está estimada em 1.563.497 toneladas. A redução frente a estimativa de fevereiro reflete a queda de 1,3% na estimativa do rendimento médio, apesar da área colhida estar 0,2% superior. A diminuição na expectativa de produção da 1ª safra de feijão deve-se, principalmente, às reduções de 7,8% na Bahia e de 5,2% em Minas Gerais, respectivamente. As estimativas de produção de feijão total recuou 0,5% em março, contudo a expectativa é para uma produção de 3.368.982 toneladas, 31,0% superior ao colhido em 2016.

MILHO (em grão) - Inversamente ao que foi observado no ano anterior, a produção nacional de milho em 2017 deve alcançar valores representativos, atingindo em março uma estimativa de 92.370.829 toneladas, aumento de 4,4% em relação ao levantado em fevereiro. Este acréscimo decorre tanto do aumento da expectativa de produção do milho de 1ª safra quanto do milho safrinha. A estimativa da produção do milho 1ª safra passou a 30.241.939 toneladas, aumento de 1,4% quando comparada à estimativa realizada no mês de fevereiro. O acréscimo foi novamente influenciado pela revisão de 3,8% no rendimento médio na Região Sul, responsável pelo maior volume de produção na safra de verão, que deve alcançar 13.527.280 toneladas, respondendo por 44,7% da produção nacional. A produção de milho 2ª safra, aumentou 6,0% frente ao mês anterior, estimada em 62.128.890 toneladas, o que representa 67,3% da produção nacional em 2017. A Região Centro-Oeste deve responder por 66,3% deste volume, com 41.217.522 toneladas, acréscimo de 7,0% comparado à estimativa do mês anterior. A estimativa de produção no Mato Grosso, maior produtor do milho safrinha com 38,7% da produção nacional, deve totalizar 24.074.228 toneladas, influenciada principalmente por um acréscimo de 10,3% na área a ser colhida. No Paraná, foi estimado um aumento de 3,0% na área plantada, impactando diretamente no volume de produção, que será o segundo maior do País e deve alcançar 13.665.541 toneladas, aumento de 2,2% frente ao mês anterior. Em Minas Gerais, também foi estimado um aumento de produção de 15,4%, em relação ao levantamento do mês anterior, totalizando 1.926.245 toneladas.

SOJA (em grão) - Com a colheita adiantada nos principais estados produtores do Centro Sul do País, a expectativa de safra recorde em 2017 está confirmada e segue em crescimento, com uma produção estimada em 110.935.272 toneladas, valor 2,3% superior ao divulgado em fevereiro (crescimento de 2,5 milhões de toneladas). O rendimento médio foi elevado em 1,8%. O Mato Grosso, principal produtor de soja do País, aumentou sua estimativa de produção em 3,5%, alcançado a marca de 30.952.147 toneladas, um novo recorde para o Estado, que é responsável por 27,9% de toda a soja produzida no Brasil. Este mês houve elevação de 1,9% na estimativa de rendimento, registrando 3.295 kg/ha, ou 54,9 sacas/ha na média estadual, um novo recorde estadual, que em 2011 colheu 3.223 kg/ha (53,7 sacas/ha). A expectativa de safra recorde no Brasil e nos Estados Unidos tem influenciado os preços do produto nas bolsas internacionais.

SORGO (em grão) - A estimativa da produção do sorgo em 2017 é de 1.931.044 toneladas, aumento de 1,7% frente ao mês anterior. Para a área plantada e o rendimento médio, também foram estimados aumentos de 0,5% e 1,3%, respectivamente. Goiás, maior produtor, com participação de 44,4% do total a ser produzido pelo País, reduziu sua estimativa de área plantada em 0,1%, mas com previsão de aumento no rendimento médio de 2,6%. Assim, sua produção foi estimada com um aumento 2,5% em relação ao mês anterior. A produção estadual deve alcançar 857.645 toneladas.

Estimativa de março em relação à produção de 2016

Dentre os vinte e seis principais produtos, quinze apresentaram variação percentual positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: algodão herbáceo em caroço (7,3%), amendoim em casca 2ª safra (35,7%), arroz em casca (13,9%), batata-inglesa 1ª safra (5,9%), batata-inglesa 2ª safra (5,2%), cacau em amêndoa (10,0%), café em grão-canephora (20,9%), cebola (2,6%), feijão em grão 1ª safra (38,5%), feijão em grão 2ª safra (37,7%), milho em grão 1ª safra (24,4%), milho em grão 2ª safra (59,2%), soja em grão (15,9%), sorgo em grão (65,2%) e triticale em grão (11,9%). Com variação negativa foram onze produtos: amendoim em casca 1ª safra (-2,4%), aveia em grão (-21,3%), batata-inglesa 3ª safra (-16,1%), café em grão - arábica (-16,1%), cana-de-açúcar (-1,2%), cevada em grão (-5,1%), feijão em grão 3ª safra (-0,5%), laranja (-7,3%), mamona em baga (-45,9%), mandioca (-12,6%) e trigo em grão (-13,8%).​

Fonte: