Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

19/11/2013

PR tenta reduzir grãos sobre rodas

O Paraná articula estratégias para evitar que a safra de grãos fique estocada a céu aberto ou estacionada em filas de caminhões para descarga. Investimentos em armazenagem e ajustes na operação do Porto de Paranaguá tentam dinamizar o fluxo dos grãos, mostraram os debates da segunda etapa do Ciclo de Palestras Informação e Análise do Agronegócio, realizada ontem em Cascavel pela Gazeta do Povo.

O técnico da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Eugênio Stefanelo, deixou clara a necessidade de ampliar a capacidade de armazenagem da produção brasileira. Considerando o potencial de expansão da safra, ele avalia que o déficit dos armazéns pode chegar a 136 milhões de toneladas em uma década. Com investimento em armazenagem por cooperativas e grupos de produtores, serão melhor escalonados o escoamento da colheita de verão e a própria comercialização, apontou.

Para agilizar a outra ponta do fluxo do escoamento de grãos de exportação, o Porto de Paranaguá está agilizando a passagem dos caminhões pelo sistema de descarga, detalhou Lourenço Fregonese, diretor Empresarial da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). Ele destacou investimentos que estão sendo realizados em estruturas como balanças, shiploaders e tombadores, que agilizam a descarga dos caminhões e o embarque dos navios.

Outra iniciativa destaca­­da por Fregonese é a adoção da classificação antecipada. Cargas que passariam por avaliação em Paranaguá antes do desembarque agora são inspecionadas em Guarapuava, nos armazéns da Companhia de Desen­­volvimento Agro­­­­­pecuário do Paraná (Codapar). Ao chegar em Paranaguá, os caminhões são direcionados a um pátio alternativo. “Com isso esperamos reduzir o tempo de espera de 8 horas para 6 horas”, aponta. Hoje a operação antecipada está concentrada em cargas que vêm de Campo Mourão, no Centro-Oeste do estado, mas existem planos para ampliar o serviço a outras regiões.

A implementação dessas práticas ganha importância num momento em que o país assume potencial para produzir 200 milhões de toneladas de grão, mostrou Giovani Ferreira, coordenador do Núcleo de Agronegócio da Gazeta do Povo. Ele apresentou a previsão da Expedição Safra Gazeta do Povo, que está em campo para confirmar o potencial de expansão.

Os agricultores e lideran­­ças do Oeste – região do Paraná que mais gasta com transporte – questionaram os palestrantes sobre as medi­­das que tentam contornar os gargalos logísticos. Mais três etapas do Ciclo de Palestras vão dar andamento às discussões, em Londrina e Maringá, dia 2 de dezembro, e em Curitiba, dia 12.​
Autor:
Igor Castanho

Fonte: