Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

02/12/2013

Escoar grãos na BR-163 até PA já pode ocorrer com agilidade em 2014, diz presidente

As obras de pavimentação da BR-163 seguem lentas ligando Mato Grosso ao Pará, mas acredita-se que já ano que vem, seja possível escoar a produção para os portos do Norte (com redução de 1 mil quilômetros a serem percorridos, em relação aos do Sul e Sudeste nos quais as distâncias chegam 3 mil quilômetros) com qualidade. A avaliação é do presidente do Sindicato Rural de Sinop, Leonildo Bares, que participou do Estradeiro da Aprosoja, formada por um grupo de técnicos e produtores que saíram de Cuiabá, semana passada, e vistoriam os trabalhos até Santarém. Com a diminuição no trajeto projeta-se redução nos custos do frete. 328 dos 1005 quilômetros entre a divisa de Mato Grosso e o município paraense ainda não foram asfaltados.
 
O presidente explicou que parte do trecho que falta ser pavimentado, está em boas condições, o que à princípio já facilita o início do transporte pelo região. Apesar de reconhecer que as obras estão em ritmo lento, ressaltou acreditar que até 2015 estejam totalmente prontas. O prazo já foi prorrogado pelo menos três vezes pelo governo federal.
 
De acordo com a assessoria da Aprosoja, o trecho de 335 quilômetros entre a chamada Vila do 30, localizada no Distrito de Campo Verde, em Itaituba, e Santarém, é o mais complicado, com 146 quilômetros sem pavimentação. Duas empresas são responsáveis pelas obras, a Sanches Tripoloni, com um lote de 112 quilômetros entre Vila do 30 e Rurópolis, e o 8º Batalhão de Engenharia de Construção (BEC), com um lote de 223 quilômetros, de Rurópolis até Santarém".
 
Conforme a associação, "no lote da Sanches Tripoloni, a BR-163 e a BR-230, também conhecida como Transamazônica, encontram-se e dividem o trajeto. Todos os 112 quilômetros estão sem pavimentação, com porções da estrada ainda em leito natural. Este também é o trecho que mais possui pontes: são 11, das quais cinco estão sem encabeçamento, uma só com a fundação e ainda há bueiros por fazer. A empreiteira assumiu o lote neste ano.
 
Ainda foi constatado que "os 223 quilômetros do 8º BEC são marcados por muitos cortes grandes de solo e aterros. A maior parte do trecho já está pavimentado, restando 34 sem pavimentação, e alguns sem terraplanagem na saída de Rurópolis. São um total de seis pontes já prontas e dois bueiros ainda em construção. Há trechos que foram construídos ainda em 1998 e já foram revitalizados, pois a empresa que possuía o direito entrou em recuperação judicial".
 
O Estradeiro, além da Aprosoja, uma das ações do Movimento Pró-logística de Mato Grosso que tem como missão articular junto aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário para implantação e manutenção de obras rodoviárias, ferroviárias, hidroviárias e portos que possibilitem redução de custos para o setor produtivo e a comunidade em geral.
Fonte: