Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

21/01/2014

MS impulsiona o norte com pavimentação das rodovias MS-316 e MS-320

Integrante do programa de investimentos e ações lançado no Estado MS Forte 2, a pavimentação das rodovias MS-316 e MS-320 em pouco tempo estará concluída. No dia 16, a governadora em exercício, Simone Tebet, acompanhada do secretário-adjunto de Obras Públicas e de Transportes, Wilson Cabral, além dos prefeitos dos municípios de Paraíso das Águas e de Chapadão do Sul, fez uma visita técnica ao canteiro de obras.
 
O trecho é de cerca de 150,9 quilômetros de extensão de rodovias com investimentos que somam R$ 213.685.034,95. A visita técnica foi realizada nos primeiros dois lotes que começam no município de Paraíso das Águas. 

A obra na MS-316 e 320 integra um grande complexo com início no trecho do entroncamento da BR-060 e término no entroncamento da MS-377, localizada no município de Inocência. Pronta, a obra vai beneficiar diretamente os municípios de Paraíso das Águas, Chapadão do Sul, Água Clara e Três Lagoas.
 
De acordo com informações do secretário-adjunto da SEOP, Wilson Cabral, a obra ao longo dos seus 150 quilômetros já tem média de 20% de projeto concluído. A pavimentação na rodovia está sendo executada em oito lotes e prevê a construção de nove pontes de concreto.

O primeiro lote está sendo feito nos municípios de Paraíso das Águas e Chapadão do Sul, no trecho entre Paraíso das Águas e o entroncamento da MS-320, numa extensão de 23,8 quilômetros. Os investimentos somam R$ 33.075.263,08.  

Já o segundo lote está sendo executado no município de Chapadão do Sul, no subtrecho que vai do km 23,800 ao km 47,920, numa extensão de 24,1 quilômetros. Para este lote os recursos são da ordem de R$ 29.911.538,26.
 
Os lotes com obras mais avançados são o de número 3 (correspondente a um trecho de 23 quilômetros) e 4 (16 quilômetros), entre os municípios de Água Clara e Paraíso das Águas, com 24,42% e 19,94% concluídos, respectivamente.

Conforme o engenheiro responsável pela fiscalização da obra, Everson Temponi, no primeiro lote visitado nesta quinta-feira as obras estão na fase da terraplenagem com 65% executado. Já no segundo lote, os serviços se concentram em terraplenagem (35%) e limpeza da área. 

Nestes dois primeiros lotes serão construídas quatro pontes de concreto sobre o Rio Paraíso (com 60 metros de extensão) e córregos Macaco, Mimoso e Pedra Branca.
 
Durante a visita ao canteiro de obras, Simone Tebet vistoriou vários trechos, assim como o andamento da construção da ponte sobre o córrego Macaco, que terá 20 metros de extensão.

Asfalto e desenvolvimento
 
A chegada do asfalto vai proporcionar mais desenvolvimento para Paraíso das Águas e toda a região de Chapadão do Sul. O objetivo, conforme a governadora em exercício, é tirar definitivamente Paraíso das Águas - que é o mais novo município de Mato Grosso do Sul - do isolamento. “Já tem vias de acesso à Capital e a outras cidades da região norte, mas era importante ligar Paraíso das Águas ao bolsão do Estado [na região nordeste]. Esta é uma região muito rica e com produção, como por exemplo, em Chapadão do Sul, que tem uma área propícia tanto para a pecuária, mas também para a agricultura”, disse.
 
Segundo Simone Tebet há empresários interessados em investir na região. “Sem estrada, logística e transporte não há como escoar a produção e trazer indústrias. Temos perspectiva de trazer uma fábrica de celulose, de MDF, mas para isso precisamos de estrada, então essa é uma das maiores rodovias que está sendo pavimentada no MS Forte 2, ao lado da MS-040 [ligando Campo Grande a Santa Rita do Pardo]. Temos uma previsão pela empresa de até o mês de outubro, se a chuva não atrapalhar, estarmos inaugurando toda a obra”, informou.
 
Simone destacou que a obra conta com recursos próprios do governo do Estado que depois de sanear as contas e, a partir disso com as finanças em dia, tem capacidade de financiamento. “Tem caixa e tem crédito, então um Estado forte economicamente tem condições de buscar nos bancos oficiais, como o BNDES para depois a médio e longo prazo ir pagando a juros muito baixos. Esta é uma obra toda financiada pelo governo do estado”, salientou.
 
Satisfeito com a obra que vai trazer mais desenvolvimento para o município, o prefeito de Paraíso das Águas, Ivan Pereira, disse que a rodovia vai ajudar na região que é bastante produtiva, principalmente no cultivo da soja. “Os produtores terão como plantar, colher e escoar essa produção interligando a gente ao Bolsão e ao Porto de Paranaguá. Vai diminuir no mínimo, pela BR-163 ou até passando por Paranaíba ou Aparecida do Taboado, entre 150 e 220 quilômetros para escoar essa produção para levar até o porto. Vai transformar a economia do nosso município”, ressaltou. Só com a estrada asfaltada há a possibilidade de ampliar uma área de 40 mil hectares para expandir a agricultura.

A pavimentação da rodovia também vai facilitar a vida dos moradores do distrito de Pouso Alto que terá 52 quilômetros de asfalto. “Isso facilita a população que antes ficava ilhada. E quando chovia, se alguém precisasse de atendimento de saúde não tinha como sair de lá porque os carros, até os traçados, atolavam”, ressaltou salientando que com a via asfaltada o acesso até a cidade será de no máximo 25 minutos.
 
Na região vizinha, o município de Chapadão do Sul – aliado à cidade de Costa Rica - responde por 76% da produção do algodão, 10% de milho, 9% da soja e 21% do sorgo da safra de Mato Grosso do Sul. 

O rebanho bovino de corte na área de abrangência do Distrito de Pouso Alto é expressivo e as áreas aptas para cultivos anuais serão incorporadas à medida que seja viabilizado o trânsito de veículos de grande porte para o transporte de insumos e da produção durante todo o ano.
 
A cidade tem uma parte que se integra com a continuação da rodovia que está sendo pavimentada. “Ela tem uma grande borda que passa dentro de Chapadão do Sul e isso ajuda a integrar essa área à agricultura e a pecuária. 

Acreditamos que com a agricultura vindo - como a cana - e a questão das florestas que estão chegando no nosso Estado, esta é uma região que com certeza vai facilitar para que se dê essa destinação melhor”, disse o prefeito de Chapadão do Sul, Luis Felipe Magalhães.

Fonte: