Skip Ribbon Commands
Skip to main content
Navigate Up
Sign In
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Media Center / Notícias

Notícias

28/01/2014

Porto por onde passa produção de MT aponta recorde de movimentação

A administração do Porto de Santos concluiu o balanço da movimentação de cargas em 2013 e confirmou o resultado recorde: mais de 114 milhões de toneladas de produtos passaram pelos terminais. O número representa uma alta de 9% se comparado ao ano anterior. No porto passa grande parte da produção mato-grossense.
 
O melhor resultado foi obtido nas exportações, que cresceram 10,5%, com destaque para os embarques de açúcar (19 milhões de toneladas, 15% mais que em 2012); soja (15,8 milhões de toneladas, alta de 16%) e milho (11 milhões de toneladas e aumento próximo de 11%), além de gasolina (25,6% mais que no ano anterior) e óleo diesel e gás óleo (elevação de 10%).
 
Já as importações, no acumulado do ano, cresceram 6,2%. As maiores altas foram nas compras de gás liquefeito de petróleo, que aumentaram 31,5% e de trigo, que cresceram 23,9%. Em toneladas, as maiores quantidades foram de adubo, que chegou a 3,6 milhões de toneladas, e de enxofre, num total de dois milhões de toneladas.
 
A carga conteinerizada cresceu 8,7% e chegou a 36 milhões de toneladas.
 
Atracações - Apesar do crescimento na movimentação de carga, as atracações tiveram redução. Isso ocorre porque embarcações maiores estão podendo chegar ao Porto de Santos após obras de dragagem, que aprofundaram o canal de navegação.
 
No total, 5.251 navios chegaram aos terminais em 2013, 6% menos que em 2012.
 
Balança comercial - O Porto de Santos movimentou, em 2013, US$ 122,5 bilhões, o que representa 25,4% da balança comercial brasileira. As exportações superaram as importações: foram comercializados para o exterior US$ 61,3 bilhões, contra US$ 61,1 bilhões de produtos importados.
 
Em valores, os principais destinos das exportações por Santos foram China, Estados Unidos e Argentina. Já as importações tiveram como principais origens a China, os Estados Unidos e a Alemanha.
 
Fonte: