Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Navegar para Cima
Logon
Você está em: Skip Navigation LinksInício / Blog / ViewPost

Os 4 maiores desafios da gestão de pessoas no meio rural

07
ago
2018
Agronegócio, Milho, Soja, Silagem

Por José Humberto Vecchio, Lider de Agricultura Digital da Corteva Agriscience™, Divisão Agrícola da DowDuPont



A gestão de pessoas é um dos principais gargalos do processo de profissionalização do agronegócio. O Brasil é um país de dimensões continentais, com um território adaptado aos mais variados tipos de culturas e cultivos. Sendo assim, essa vocação agrícola diversificada exige não apenas a evolução tecnológica no campo, como também o desenvolvimento profissional e o maior aprimoramento para lidar com as inovações no meio rural.

O agronegócio é equivalente a quase 25% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e 50% das exportações do país. Diante desses números, empresários do agronegócio já perceberam que investir na gestão de pessoas é um fator-chave para a prosperidade do setor.

Para entender melhor quais são os principais desafios da gestão de pessoas no meio rural e entender a importância desse gerenciamento para os resultados da fazenda, acompanhe o nosso conteúdo.

Qual a importância da gestão de pessoas no meio rural?

A gestão de pessoas no meio rural gera impactos relevantes para o dia a dia de uma fazenda, para a rotina operacional e para a produtividade e rentabilidade dos negócios agrícolas.

Antes de mais nada, o gestor ou profissional de uma propriedade agrícola precisa entender que formação e conhecimentos técnicos são importantes para quem atua no meio rural, mas só isso não é suficiente. Eles também precisam saber gerir pessoas, e isso vai além do conhecimento no campo e da formação em agronomia.

A maioria dos gestores de negócios e operações no meio rural, ou seja, a liderança do agronegócio, pertence a uma geração acostumada com um modelo de gestão mais hierárquico e autoritário. Portanto, é preciso estar atento à necessidade de uma mudança de mindset para um novo modelo de gestão que considere maior envolvimento, comunicação e participação dos profissionais.

O gestor rural precisa saber lidar com pessoas de gerações diferentes, que apresentam necessidades distintas, maturidades profissionais variadas e, portanto, requerem um acompanhamento diferenciado. Vale destacar que o momento é de transição de gestores antigos para outros de gerações mais novas, seja nas propriedades rurais, nas cooperativas ou mesmo nas multinacionais do setor.

A responsabilidade desse novo gestor rural é, então, ter clareza dos propósitos do seu negócio no campo e compartilhá-los de forma nítida para a sua equipe. Lembrando que esses propósitos não podem ser apenas operacionais: eles também devem estar relacionados ao papel do agronegócio, que é produzir de forma sustentável, gerar alimentos de qualidade e alimentar uma população em franco crescimento.

Esse compartilhamento de propósitos é uma maneira de motivar e engajar os profissionais envolvidos, que passam a trabalhar não apenas focados no operacional, mas também preocupados com valores maiores que envolvem o agronegócio.

Vale destacar ainda a importância da clareza e transparência de comunicação não só em relação a metas e números da propriedade rural, mas também aos feedbacks gerais, que devem ser pontuais e frequentes, com o objetivo de otimizar a performance, potencializar o trabalho em equipe e, consequentemente, melhorar os rendimentos.

Quais os principais desafios?

A gestão de pessoas está diretamente relacionada ao resultado da propriedade rural, assim como do agronegócio como um todo. Dessa forma, mapeamos aqui alguns dos principais desafios enfrentados para a gestão de pessoas no meio rural.

1. Encontrar e reter talentos

Uma das principais dificuldades no campo é encontrar talentos capazes e interessados em permanecer no agronegócio. Podemos considerar como desafios atuais a migração de pessoas do campo para a cidade e a sucessão familiar.

Assim, uma questão relevante é a descoberta de profissionais dispostos a permanecer trabalhando na propriedade por mais tempo, com a mesma motivação e empenho dos proprietários. O objetivo é conseguir implementar um processo de gestão profissional com processos claros, boas condições de trabalho, alto engajamento, além de planos de desenvolvimento e benefícios atrativos que potencializem a retenção de talentos.

2. Treinar e desenvolver pessoas

O gestor de pessoas no meio rural enfrenta ainda o desafio de identificar as principais necessidades de treinamento e desenvolvimento de seu time, principalmente diante das inovações tecnológicas que são cada vez mais frequentes no agronegócio.

É necessário capacitar os profissionais rurais para lidar com as novas tecnologias implantadas no campo. Isso porque as soluções digitais podem exigir competências e habilidades distintas, de acordo com os produtos e as regiões brasileiras em que são utilizadas.

É também responsabilidade do gestor rural trabalhar o desenvolvimento de sua equipe, buscando a alta performance dos profissionais, ajudando no progresso e evolução das competências, bem como na motivação dos colaboradores.

Alguns gestores ainda têm a mentalidade de que é melhor não investir no treinamento e desenvolvimento de seus profissionais, considerando o risco de perdê-los para a concorrência em um futuro próximo. Na verdade, a maior perda para qualquer negócio é ter pessoas com pouco conhecimento e baixa performance atuando em seus times.

3. Criar estratégias de gestão

Outro desafio para o gestor de agronegócio é a elaboração de estratégias competitivas que levem em consideração a produtividade, a eficiência e o custo por meio de ferramentas tecnológicas modernas de planejamento e direção.

Muitas fazendas no Mato Grosso já têm estratégias de retenção de funcionários no campo, a exemplo dos operadores de maquinários, com os quais os proprietários das fazendas estabelecem uma forte relação de confiança.

A ideia é criar estratégias de bonificação e divisão de lucros, a fim de reter e aumentar a motivação do time — por meio de incentivos —, bem como a liderança dentro da propriedade. No campo, principalmente, é preciso realizar uma gestão mais humanizada, com conversas frequentes para direcionamento de atividades, planejamento, execução e compartilhamento de metas e resultados atingidos.

4. Profissionalizar a gestão

Outro desafio é profissionalizar a gestão de todo o agronegócio, principalmente nas propriedades rurais que ainda não contam com ferramentas e sistemas tecnológicos que ajudem no gerenciamento operacional do dia a dia.

A cultura de sucessão familiar na agricultura brasileira traz desafios e oportunidades para o campo. Um dos principais desafios é a tendência das novas gerações reproduzirem o modelo de gestão que sempre foi feito, sem avaliar necessidades de mudança. As oportunidades aparecem com novas formas de entender o negócio agrícola, utilizar as ferramentas disponíveis e construir soluções inovadoras. Conseguiremos dar grandes passos na profissionalização da gestão quando conectarmos os diferentes tipos de conhecimento, experiências e atitudes de cada geração.

Hoje, muitas propriedades e grupos agrícolas dispõem de sistemas digitais de gestão da fazenda. Porém, vemos a oportunidade de ampliação da adoção desse tipo de solução no mercado brasileiro. Maior eficiência operacional, gestão dos times e incremento de rentabilidade são alguns dos benefícios atingidos por essa escolha.

E então, o que achou dos desafios da gestão de pessoas no meio rural? Para saber mais sobre agronegócio, assine nossa newsletter e mantenha-se informado sobre as novidades do setor.

16192 visualizações
 

 Comente

 
Nome  *
E-mail  *
Estado  *
Cidade  *
Código de segurança  *

Comentário  *
* Campos Obrigatórios
Atenção:

• Todos os comentários feitos neste Blog passam pela moderação de administradores e assim que possível serão publicados.

• Lembramos que os comentários postados são de responsabilidade do usuário e não representam necessariamente a posição da DuPont Pioneer sobre o assunto em discussão.

  • Comentários (7)

Elias Tuñon Villarreta

29/6/2020 11:19:25
Bom dia. Sem dúvida, o capital intelectual é de sua importância em qualquer tipo de empresa. No agronegócio não poderia ser difere, aliás, estamos atrasados no aspecto gerencial como um todo. Gestores devem ser,ante de tudo, líderes pelo exemplo. Gostei e aprendi com vossas considerações. Elías.
Blog Agronegócio em Foco
17/7/2020 14:00:25
Elias, muito obrigado por nos trazer suas considerações a partir do artigo. Para nós é muito importante essa interação, e também de saber que estamos no caminho certo para proporcionar conteúdos de qualidade para os nossos leitores. Um grande abraço!

Blog Agronegócio Em Foco

19/6/2020 15:53:36
Olá, Rosane! Tudo bem com você? Que bom que gostou do nosso conteúdo. Nos acompanhe nas nossas redes sociais e esteja sempre por dentro das novidades: https://www.instagram.com/pioneersementes/?hl=pt-br https://www.facebook.com/PioneerSementes/ Abração da nossa equipe!

Moacir Jesus Barboza

2/9/2018 22:58:32
Muito boa a matéria
Blog Agronegócio em Foco
23/10/2018 9:27:44
Ficamos muito felizes com o seu comentário, Sr. Moacir. Conte sempre conosco. Abraços!

Solismar Venzke Filho

8/8/2018 15:25:08
Parabéns a Pioneer em tratar deste assunto. São poucas as empresas fornecedoras de insumos e tecnologia trata de assuntos correlatos como este. A gestão de pessoas no meio rural está passando por uma transformação singular nesse século e a empresa como a Pioneer pode contribuir com o produtor nesse tema.
Blog Agronegócio em Foco
8/8/2018 16:29:40
Muito obrigada, sr. Solismar! Certamente estamos sempre atentos a levar conteúdos que contribuam para o crescimento do agronegócio. Ficamos muito felizes com o seu comentário. Abraço!
     
 

 Posts Relacionados

 
 

 DuPont Pioneer no Facebook

 
​​​​​
 

 Informações Técnicas

 
Receba informações técnicas da DuPont Pioneer. Cadastre-se
 

 Sugestões

 
Deseja enviar uma sugestão de pauta para o blog? Clique aqui e preencha o formulário
 

 Núvem de Tags